Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

quarta-feira, 15 de junho de 2011

CONTRACORRENTE





CONTRACORRENTE (Contracorriente) Perú/Colômbia/França/Alemanha, 2009 – Direção Javier Fuentes-León – Elenco: Cristian Mercado, Manolo Cardona, Tatiana Astengo, José Chacaltana, Cindy Diaz – 100 minutos.
A história se passa num pequeno vilarejo no Peru, que parece perdido no tempo e no espaço. Não fossem algumas bugigangas tecnológicas, podia-se pensar que a história se passa há algumas décadas. Ao menos, a mentalidade local parece parada no passado remoto. Quando o filme começa, o pescador Miguel (Cristian Mercado) tem um romance com o fotógrafo e pintor Santiago (Manolo Cardona). Não seria nada demais, não fosse o primeiro casado com Mariela (Tatiana Astengo), que está grávida. A relação entre os dois sempre acontece ao longe, em praias isoladas, onde sozinhos podem viver o seu amor. O pescador Miguel é um personagem com um conflito muito grande: apaixonado por Santiago e também por sua mulher, ele fica dividido entre o dever e seu coração. Na vila onde moram, o fotógrafo é visto com hostilidade, ninguém fala com ele e crianças atiram ovos em suas janelas.
De narrativa direta e simples, mas muito eficiente, o filme aborda os dilemas amorosos e sexuais do protagonista de forma humana e afetiva, sem julgamentos. Constrói bem seus personagens dando-lhes força real e profunda dimensão humana, sem cair na tentação de eleger heróis ou bandidos. Por isso mesmo cria empatia e confere muita dignidade e realismo, em deixar a poesia de lado. Um filme belíssimo que consegue aquele esperado diálogo com a plateia e com qualidade.
Este filme forte e aclamado internacionalmente como um dos melhores do ano apresenta personagens muito humanos e repletos de nuance. Desde o pescador que nem sempre sabe lidar com sua bissexualidade, até o fotógrafo bem resolvido, passando pela mulher de Miguel, que fica dividida entre o amor pelo marido e o preconceito enraizado em sua educação. Educação essa, que prega que homem não pode ver novela; homem tem que gostar de futebol. Numa sequência Mariela dá um sorriso sem graça quando diz para as amigas que Miguel vê a reprise da novela brasileira "Direito de Amar" e gosta muito de Lauro Corona.
Premiado com diversos prêmios, entre eles o de público do Festival de Sundance do ano 2010, CONTRACORRENTE, com sua sensibilidade e realismo, é um filme poderoso que faz um belo retrato da hipocrisia falando de amor. Uma obra-prima do atual cinema latino americano!!




Nenhum comentário:

Postar um comentário