Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

sábado, 13 de maio de 2017

UM ESTADO DE LIBERDADE (Free State of Jones) EUA, 2016 – Direção Gary Ross – elenco: Matthew McConaughey, Gugu Mbatha-Raw, Mahershala Ali, Keri Russell, Christopher Berry, Jacob Lofland (Daniel), Sean Bridgers, Bill Tangradi, Brian Lee Franklin, Thomas Francis Murphy, Kerry Cahill, Joe Chrest, Jessica Collins, Donald Watkins, Nicolas Bosc, Tim Bell – 139 min

             PARA CONSEGUIR SUA LIBERDADE, ELE LUTARÁ CONTRA TODOS 


O filme investiga os aspectos de uma história de luta e coragem durante a Guerra Civil Norte-Americana. Existem muitas questões nesse cenário e no século XIX de modo geral, que infelizmente ainda ecoam nos dias de hoje. Um dos principais méritos da produção é conseguir ser atual em seus debates e discussões. O que diz mais sobre o tempo em que vivemos do que sobre o filme em si. Esta não é uma aula de história, mas é entretenimento para as massas feito por Hollywood que respeita a história e parece nos convidar a discutir e a debater. O roteiro se desenvolve sem pressa, mantendo o ritmo da narrativa, bem como um trabalho competente dos departamentos de direção de arte e figurino, além de cenas de batalhas espetaculares. O diretor consultou alguns dos maiores especialistas no assunto e fez um bom trabalho ao equilibrar os fatos com as demandas narrativas da ficção. O resultado é uma lição de história, cujo didatismo ocasional é crucial para sua potência. O filme tem como outro mérito levantar uma discussão sobre os crimes e omissões da Reconstrução, com efeitos que se fazem sentir até hoje. O que não funciona muito bem é o recurso a uma alternância de épocas entre os acontecimentos do século XIX e um julgamento no Mississippi nos anos 1960.
"Um Estado de Liberdade" é um filme anti-guerra com uma mensagem comunista que ainda assim glamouriza o orgulho sulista e o trabalho. É uma mensagem repleta de nuances muito raras em nosso contexto político atual. A edificante cinebiografia do filme ganha energia e foge do didatismo nas mãos de Gary Ross, o diretor, que demonstra a ambição de fornecer ao mesmo tempo informação e reflexão sobre o tema histórico. Matthew McConaughey é o grande destaque do elenco, com seu carisma, dá ao protagonista uma atuação clássica. O ator se entrega ao personagem e não decepciona ao longo da sua performance. Ele também tem carisma o suficiente para assumir a função de herói ou líder revolucionário. O elenco traz ainda Mahershala Ali e Keri Russell. O filme ostenta uma amplitude digna de um épico histórico, mas se perde um pouco, infelizmente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário